User experience no varejo de moda

A questão da tecnologia tem sido tema recorrente para quem atua no mercado de moda, já se foi o tempo em que tudo era inalcançável e impossível, quem deseja se manter no mercado nos próximos anos deve ficar atento e fazer os movimentos certos.

Uma das maiores vantagens e pode que justificar o uso da tecnologia na moda, será a capacidade de oferecer consistência e poder personalizar os padrões de compras do cliente, mas o mercado–principalmente o brasileiro–tem sido um pouco arisco às mudanças. É fato que mundialmente ainda está se explorando, estudando e desenvolvendo os reais usos para tecnologias como a realidade virtual ou a inteligência artificial, mas é interessante estarmos atentos ao que está por vir e interpretar as mudanças futuras como melhorias no sistema de varejo.

Destacamos três inovações  tecnologicas que estão tomando novas formas, e se adaptando ao mercado de moda.

 

Blockchain

 

 

Basicamente é um registro digital descentralizado e distribuído que oferece novos formas para gerencias segurança, autenticidade e padrões estéticos de produtos. Tudo que é registrado usando a tecnologia não pode ser alterado posteriormente e nada pode ser adicionado também, esse sistema garante a segurança prometida e autenticidade de informações.

O uso que tem se destacado para essa tecnologia na moda é para provar o fator de “originalidade” de peças de vestuário. Como exemplo temos microchips que usam o blockchain e podem informar ao cliente via smartphone se a roupa é original ou uma imitação, se foi roubado, onde foi feito e informações mais gerais sobre o produto.

Além disso a tecnologia pode ajudar os revendedores a obter maior confiança e fidelidade à marca ao longo do ciclo de vida do produto, e pode repassar ao consumidor não apenas onde um item foi feito, mas também por quem foi feito, as condições em que eles trabalharam e quanto eles foram pagos. Os compradores também podem aprender sobre a composição de uma peça de vestuário, onde o tecido foi cultivado e quais produtos químicos foram utilizados.

 

Contactless Shopping

 

A forma como fazemos compras mudou drasticamente nas últimas décadas, prova disso é a quantia enorme de lojas virtuais que temos à disposição atualmente. Na internet o fator de pagamento é bastante simples, você digita o número do seu cartão, mais algumas informações e pronto. Mas mesmo com muitas opções online, ainda temos que lidar com compras em lojas físicas e pagar algo sempre leva tempo, seja por conta da fila no caixa ou esperar o do processo em si.

Sabendo desse fator incomodo para grande parte dos consumidores algumas empresas resolveram implementar a “compra sem contato” e abster o seu cliente de ter que perder tempo na hora do pagamento, e isso influencia no quão positiva será sua experiência de compra.

As lojas de conveniência automatizadas de alta tecnologia estão se infiltrando  em Pequim e Xangai. Desenvolvido por WeChat, um serviço chinês de mensagens móveis, essas lojas não tripuladas não exigem check-out, nem dinheiro nem vendedores. Os clientes digitalizam códigos QR para entrar na loja e selecionar produtos, e depois pagar usando suas carteiras móveis WeChat. Os sensores nas prateleiras detectam a remoção de itens. Uma vez que um item foi removido, ele está vinculado à ID exclusiva do cliente no aplicativo do smartphone para evitar o roubo.

A Zara tem investido nessa tecnologia e em estações de auto pagamento, onde o cliente não precisa lidar com vendedores, atendente e caixas.

As compras sem contato ajudam a tornar o processo de pagamento mais transparente, eficiente e conveniente, eliminando os aborrecimentos que o processo tradicional gera.

 

Reconhecimento Facial

 

 

Usar sua digital facial para fazer um pagamento parece algo de filme, mas a tecnologia já está rolando no mercado. Além dos usos tradicionais como desbloqueio de smartphones e monitoramento, o reconhecimento facial tem se mostrado muito promissor para atividades cotidianas, como pagar o jantar, na China é possível fazer isso no KFC.

Além de ser implementada em atividades triviais a tecnologia de reconhecimento facial pode fornecer informações sobre o processo de decisão de compra de um consumidor, identificando indivíduos e desenvolvendo e proporcionando experiências de compra personalizadas para eles.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*