Top 4: SPFW 45

A maior semana de moda do país já acabou, mas nós aqui da redação ainda estamos amando muito o que vimos no evento. Selecionamos os desfiles que mais nos chamaram a atenção, e pontuamos o que mais gostamos. Você pode conferir em nossa galeria as fotos dos looks de cada uma das 4 marcas.

Ronaldo Fraga

O estilista nos surpreende a cada temporada, e dessa vez não foi diferente. Ronaldo trouxe como tema do seu desfile  a tragédia do rompimento da barragem de Mariana, que aconteceu em Minas Gerais em novembro de 2015. De forma poética e poderosa, a coleção batizada de “As Mudas”, tocou todos presentes no desfile, pois retratou o processo de renascimento de uma comunidade que sofreu grandes perdas.

As Bordadeiras, Meninas de Barra Longa – localizadas em Barra Longa, que foi devastada durante o rompimento – confeccionaram as peças juntamente com o estilista. Reconstrução e resistência foram palavras chave para guiar a coleção e fazer com que o breve momento na passarela ultrapassasse seu conceito primário, tornando-se um verdadeiro manifesto em prol de uma moda com real propósito.

Fotos: Agência Fotosite

Projeto Ponto Firme

Já falamos aqui sobre a iniciativa do projeto ponto firme, que tem como diretor criativo o estilista Gustavo Silvestre.  As  peças desfiladas me crochê foram feitas pelos detentos da penitenciária masculina Desembargador Adriano Marry, além de ter uma coleção linda, o projeto foi um ato de sensibilidade, pois gerou valor ao trabalho de pessoas que são acostumadas com uma realidade muito dura. Totalizando 45 looks, a coleção de outono inverno abordou horade forma melancólica, hora com muita esperança temas como humanidade e segundas chances.

Os bordados de crochê foram o ponto alto do desfile, aparecendo como aplicações ou em looks completos. Vestidos com silhueta sereia, franjas e muito movimento. As camisetas ganharam muito significado ao estampar frases de cartas recebidas ou enviadas pelos detentos. Para as jaquetas o modelo escolhido foram as bombers, super divertidas com suas aplicações de bichinhos de pelúcia.

Fotos: Agência Fotosite

Lino Villaventura

O incrível desfile dramático de Lino Villaventura celebrou seus 40 anos de marca, e lembrou das quatro décadas do seu trabalho criativo na moda. o desenvolvimento durou quatro meses, e envolveu a criação de texturas exclusivas – que são a marca registrada de Lino – e também testes de novos materiais. Um casting misto de modelos, contando com homens e mulheres e a iluminação teatral e introspectiva, enriqueceram e trouxeram ainda mais drama ao desfile.

A coleção comemorativa, apresentou um ritmo exuberante com seu efeito grafismo expressos por pespontos e bordados impactantes. Modelagens grandiosas, com shapes estilizados, saias com volumes e um toque delicado com tule bordado compuseram o mix. O look extra todo em dourado com a imagem de um pavão, complementou a peleta de cores, onde Lino optou por tons de laranja, roxo, bordô além do branco e preto.

Fotos: Agência Fotosite

Osklen

O desfile de inverno 18 da Osklen foi um respiro na semana do SPFW45.  Sustentabilidade, diversidade e identidade marcaram a passagem da marca pela passarela. A responsabilidade ambiental foi a bandeira levantada pela Osklen, e foi expressa em forma de manifesto através de sua coleção “ASAP – As Sustainable as possible, as soon as possible”.

A marca que trabalha de forma pioneira desde 1998, com alternativas sustentáveis para o desenvolvimento de suas coleções, trouxe materiais diferenciados como o algodão reciclado em sarja, peças de tricô e malharia, algumas construídas com retalhos da próprios, ou  reutilizados da indústria têxtil.  Reforçando o conceito da coleção, a Osklen decorou algumas de suas peças com cristais Swarovski, que são reconhecidos por adotar processos de produções éticos e sustentáveis, trazendo a tona a tendência do novo luxo que se faz cada vez mais presente.

Alguns dados técnicos sobre a coleção foram liberados, e podemos entender melhor o comprometimento real da Osklen com o impacto ambiental, e os benefícios socioambientais. Os dados foram apurados pela COPPEAD, e analisaram as E-Fabrics que produziram as peças dessa temporada, confira:

PIRARUCU

  • 48% dos acessórios em couro da OSKLEN são confeccionados com a pele de Pirarucu;
  • Aumento em 16 vezes do uso da pele de pirarucu em 10 anos;
  • 1.000 famílias ribeirinhas diretamente beneficiadas;
  • 1 milhão de reais em geração de renda/ano;
  • 27 toneladas de gases do efeito estufa deixaram de ser emitidos/ano;
  • Desmatamento Zero.

Fonte: COPPEAD/UFRJ

ALGODÃO ORGÂNICO | ALGODÃO RECICLADO | ALGODÃO ABR (ALGODÃO BRASILEIRO RESPONSÁVEL)

  • 3.900 litros de água poupados na produção de uma t-shirt 100% algodão reciclado;
  • 3.500 peças produzidas com matéria-prima reciclada só em 2017;
  • 713 kg de algodão reciclado reutilizados só em 2017;
  • Economia Circular por reaproveitamento de resíduos da indústria têxtil.

Fonte: COPPEAD/UFRJ

MOLETOM PET

  • 199 milhões de litros de água economizados em 2017;
  • 272 mil garrafas plásticas recicladas em 2017;
  • 70% de redução no uso de energia elétrica na produção;
  • 1260% de aumento no número de peças confeccionadas com malha PET pela OSKLEN em dez anos;
  • Redução de 15% nas emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: COPPEAD/UFRJ
São utilizados dois e-fabrics para a produção da moletom PET:

  • Poliéster Eco PET: produzido a partir de 2 garrafas PET recolhidas da natureza. Essa matéria-prima é suficiente para produzir, por exemplo, uma camiseta, evitando assim a poluição ambiental. O processo de tingimento é feito com reuso de recurso hídrico, que gera uma economia de 10% do volume de água para produção.
  • Algodão ABR (Algodão Brasileiro Responsável) – desenvolvido criteriosamente da semente à fiação, seguindo práticas sócio-ambientais e econômicas especiais, certificado pela ABRAPA – Associação Brasileira de Produtores de Algodão, com reconhecimento internacional do BCI – Better Cotton Institute.

SEDA ORGÂNICA STRETCH, SEDA ORGÂNICA E TRICOT SEDA ORGÂNICA

  • 516% de aumento no uso da seda orgânica;
  • 8 anos contribuindo para a geração de renda de milhares de pequenos agricultores;
  • Reaproveitamento de casulos rejeitados pela indústria têxtil.

Fonte: Instituto-E

FIAÇÃO ARTESANAL

  • Não são utilizados quaisquer produtos químicos para adubação das amoreiras (que hospedam o bicho-da-seda) ou no controles de pragas.
  • Os fios da seda orgânica são elaborados por processos naturais com mínima intervenção de maquinário, onde inclusive a tecelagem é manual. Para o reaproveitamento dos casulos rejeitados pela indústria, a fiação é feita de forma a não haver praticamente nenhum resíduo, tanto dos fios, como dos casulos.
  • O tingimento das sedas é feito com corantes naturais, processados e fixados de forma orgânica. Nesta coleção, foram utilizados materiais como castanho, pinhão, espinafre, café, eucalipto e casca de cebola para tingimento das sedas.

SOLADOS RECICLADOS

  • Solado Eco – em borracha reciclada, feita a partir do reaproveitamento de aparas de borracha e resíduos de cortiça e casca de arroz.
  • Corpo do tênis em lona e forro em sarja ecológica, ambos com algodão reciclado em sua composição.
  • Um produto socioambiental responsável e um exemplo de economia circular – de reuso de materiais através do correto descarte para a redução do impacto ambiental.
  • Reutilização de palha de arroz, aparas de borracha e cortiça na produção dos solados.
  • 48 kg de resíduos reaproveitados a cada 1.000 pares de calçados.
  • 1.887 KWh de energia economizados a cada 1.000 pares de calçados produzidos.

Fonte: Instituto-E | COPPEAD/UFRJ

Fotos: Agência Fotosite

 

 

 

 

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*