Japão e sua Indústria de Beleza Botânica

 

Quando falamos em produtos botânicos é praticamente impossível não falar do mercado japonês. Vertente da tendência orgânica, os botânicos também incorporam outros conceitos que são importantes para a cultura japonesa: boa comida, boa saúde, ingredientes naturais, métodos tradicionais de fabricação e, talvez o mais importante, ciência e pesquisa.  Apesar de os produtos botânicos já serem tradição no mercado japonês, os consumidores estão exigindo cada vez mais saber sobre os produtos que consomem, e estão buscando itens que tenham o menor impacto nocivo para si, para suas famílias e para o meio ambiente.

Mas não é só isso, os consumidores procuram cosméticos orgânicos sim, mas apenas se eles oferecerem o mesmo ou melhores resultados do que os não orgânicos homólogos, o que vem desafiando o mercado e os produtores de botânicos, que estão se esforçando para ter ingredientes mais naturais, e sempre que possível sem sacrificar os seus benefícios.  A tendência botânica está sendo fortemente enfatizada, as marcas trazem para o público consumidor cenas de vida selvagem com plantas e alimentos, imagens de Instagram fofas, fotos da natureza ou cenas em laboratórios e fábricas que transmitem uma sensação de artesanal ou pesquisa. Todas essas ideias são combinadas para criar um sentimento de confiança. Embora a essência esteja em torno de uma estética minimalista, as marcas têm o cuidado em dar uma vibração mais acolhedora e amigável, priorizando a cor verde, mas também usando outros matizes brilhantes e até ilustrações ou fontes manuscritas para dar uma sensação de qualidade artesanal.

Os ingredientes desses produtos são orgulhosamente exibidos através de gráficos visuais elaborados. Apelando à preocupação com a natureza do novo consumidor, estes gráficos oferecem clareza e confiança de maneira divertida. Como algo da dispensa do boticário, quase todos os produtos contêm pelo menos um dos seguintes ingredientes: alecrim, arnica, lavanda, hortelã, chá verde japonês, urtiga, pinho, hera e sálvia. Flores: tradicionalmente encontradas em infusões e ervas, esses ingredientes que estão sendo usados em produtos de beleza, graças a suas propriedades medicinais. Camomila, rosa, flor de cerejeira, hibisco, sazonal, equinácea e gerânio são fundamentais.

Frutas e vegetais: yuzu é, de longe, um dos mais prolíficos extratos de frutas, como tradicionalmente foi usado no Japão por anos. Recentemente, tornou-se um ingrediente moderno internacionalmente. Além disso, o arroz sempre foi um dos favoritos produtos japoneses, como é sabido para iluminar, tonificar e purificar pele. Outros ingredientes populares incluem goiaba, maracujá, uva, milho, ervilhas e alho. Óleos: castanha kukui, argan, óleo de noz de macadâmia e óleo de noz são popular. Os óleos não são o ingrediente principal, mas sim adicionados a produtos para oferecer benefícios adicionais.

É evidente o crescente interesse em produtos botânicos não só entre os japoneses onde a técnica é praticamente milenar, mas também em consumidores de todo o mundo, e existe hoje uma grande quantidade de marcas no mercado que oferecem alternativas naturais. Muitas dessas marcas dão ênfase aos métodos de produção tradicionais ou artesanais. Elas apostam na transparência sobre ingredientes, tanto orgânicos quanto não orgânico, para provar eficácia e segurança de uso, e esforçar-se para usar ingredientes locais. Produtos como esse passam a valorizar a verdadeira comunicação entre as relações humanas mais simples. E vem de acordo com um momento de se encontrar com a natureza em sua forma bruta. Vale a pena conferir as marcas que já trabalham com isso.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*