Entrevista: conheça a fashion designer argentina Elena Wetzel

Designer de moda por vocação e arquiteta por formação, a argentina Elena Wetzel nos chamou a atenção com suas peças contemporâneas que misturam feminilidade com as formas arquitetônicas. Muitas vezes com uma pegada romântica, as roupas propostas pela sua marca VEREL são inspiradas em filmes e pinturas de época, pois segundo a estilista essas obras possuem cores e brilho inigualáveis. Em sua última viagem a Florianópolis, em janeiro de 2014, Elena Wetzel se mostrou encantada com o estilo da mulher catarinense e pretende no futuro realizar um desfile na Ilha da Magia. Confira na integra a entrevista:

Nome: Elena Wetzel

Profissão: Designer de arquitetura, decoração, urbanismo e moda.

Como tudo começou: Na minha juventude, a minha casa respirava costura. Eu me lembro da minha avó a costurar na máquina Singer e minha mãe a nos fazer roupas, então eu adquiri este dom e me aperfeiçoei sozinha com as revistas do ramo. Costurei durante toda minha juventude, mas deixei tudo de lado e dediquei-me a Arquitetura e aos 24 anos me tornei uma profissional. No meu retorno a Buenos Aires não comecei no ramo têxtil, mas sempre pensei em moda. Há alguns anos atrás comecei a estudar para iniciar as coleções e assim VEREL nasceu.

Destaques da carreira: Proprietária das marcas L´ETOFFE e VEREL.

Um sonho: Transformar VEREL numa “grife”, casa de moda.

Referências: Todas as mulheres, COUTURE.

Inspiração: Sempre me inspiro em filmes de época, pinturas antigas com suas cores puras e brilho como nem um outro. Mas desta vez foi diferente, na minha última viagem a Florianópolis eu notei algo que me chamou muita atenção no estilo das mulheres, como se fosse no tempo colonial e fiquei fascinada! Amei as cores e ver essas mulheres tão femininas e cheias de glamour. A viagem foi realmente inspiradora para mim, além do fato de que eu amo a cidade, as pessoas e praias. Espero um dia preparar um desfile em Florianópolis.

Marca registrada: Sou arquiteta por profissão, trabalhei muitos anos na Europa, que me deu uma rigorosa experiência nas formas e equilíbrio. Uso cor, forma e estilo, como se fosse um obra arquitetônica, não concebo estes projetos sem padrões de feminilidade e delicadeza.

Qual o seu diferencial? Todo designer sonha que seu produto seja diferenciado no mercado, mas devido à globalização das comunicações é cada vez mais difícil manter essa teoria : a novidade em um produto têxtil, uma tendência, cor, estilo, etc. Meus projetos são baseados em aspectos muito simples e de alto estilo, meu design interpreta uma mulher que trabalha, uma fashionista ou uma socialite, sempre com um cunho muito feminino.

O que você valoriza mais durante o processo do seu trabalho? Considero o capital humano muito importante no processo. As costureiras, por exemplo, elas são um elo importante na marca. Para mim fica bem claro: se não estão felizes, não trabalham bem. Se são apreciadas, seu desempenho é muito melhor.

Quais as maiores dificuldades da profissão? Economia – Argentina está passando por um momento muito preocupante economicamente. A importação está quase fechada, limita severamente o nosso campo, temos de inventar um monte de produtos no mercado.

O que mais te dá prazer em seu trabalho? Eu amo o processo de inicialização em cada coleção, pesquisa, projeto, estudo das cores e formas, mas o que mais me fascina é ver os tecidos se tornarem uma coleção.

Projetos atuais: A coleção 2014 está em vigor, mas a pesquisa de tendências, provas de modelitos para a de 2015 já estão em andamento.

O que motiva o seu trabalho de hoje ser melhor que o de ontem? Sonhar.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*