Entrevista com Maihara Brandão

No Dragão Fashion desse ano tivemos o prazer de conhecer a designer Maihara Brandão, pessoa doce e dona de uma criatividade impar que teve seu primeiro contato com os acessórios ainda menina. Ela que fez faculdade de moda em paralelo com a faculdade de direito, se formou na primeira turma de moda do Piauí. Sempre foi fascinada pelo mundo das joias e desde de 2009 começou sua busca por cursos e especializações na área. Em 2011 montou seu próprio atelier.

Em todas as criações da designer ela tenta mostrar os traços das raízes Nordestina, sempre com algum material ou algum traço que fale um pouco da história daquele povo . Como o seu proposito sempre foi desenvolver e destacar a região do Nordeste, o seu trabalho é focado em devolver joias que mostram fortes traços de pertencimento, identidade e o maior proposito é criar joias que contem a história de quem vai usa-la, seja de forma direta ou indireta. Dentro do seu processo de produção ela usa muito a reutilização de matérias e todas as empresas parceiras tem uma preocupação e ações de preservação ao meio ambiente.

Tivemos a oportunidade de conversar com a Designer e conhecer um pouco mais sobre esse trabalho incrível, leia a entrevista abaixo:
1- De onde surgiu a ideia de trabalhar com materiais como a cerâmica?
A ideia surgiu quando eu ainda era estudante de moda. Já trabalhava com os acessórios desde os 12 anos de idade. Em 2008 eu comecei com a joalheria, e sempre gostei muito do inusitado, e o reuso sempre fez parte da minha vivência desde muito menina eu adorava refazer as minhas próprias roupas e reformava as minhas bijuterias. E foi em um trabalho da faculdade, que eu disse que gostaria de fazer uma joia, onde eu pudesse transformar algo que não fizesse mais parte do repertorio de alguém, mas que pudesse ser ressignificado. Aqui em Teresina nós temos um polo cerâmico, e em uma conversa com a dona Teresinha que faz parte da cooperativa, eu tive a ideia de transformar a cerâmica em aspecto de pedra natural, as primeiras tentativas foram frustrantes…rsrsrs. Depois de muitos experimentos não muito bem-sucedidos, eis que bem próximo de entregar o meu projeto o tão sonhado trabalho da petrificação da cerâmica deu certo e foi super aceito por todos.

 

2- As peças são bem diferenciadas e com um design singular, quais suas
fontes de inspiração?

A minha inspiração vem muito de tudo que vivo no meu dia-a-dia, vivências emocionais, lugares, experiências, arquitetura, mas existe uma energia muito poderosa entre a minha criação e as minhas raízes, e é algo muito forte na minha identidade e é essa conexão que torna as minhas criações diferentes e únicas.
3- Como o público tem aceito seu trabalho?
De uma forma muito positiva, tanto aqui em Teresina, como em todo Brasil e vejo cada dia mais o desejo do nosso público em obter nossas joias. A conexão do nosso DNA do pertencimento, interligam as pessoas a história e ao design das nossas peças.
4- Existe um pouco, ou muito de Maihara nas suas peças?
Existe muito, eu sou muito passional, e tudo que é criado no atelier é colocado muito amor, sentimento e costumo dizer que o nosso produto éuma joia emocional… risos. Pois cada pessoa que adquiri as nossas peças estão levando um pouco da nossa história, perpetuando sonhos e cada peça tem uma energia única que vem através de todos nós que produzimos.

5- Como é pra você trabalhar com o reaproveitamento de alguns materiais,
unindo com materiais diferenciados? Você se considera uma marca slow?

Para mim é uma felicidade, porque eu sei da responsabilidade que eu tenho como designer, a de criar, reciclar, recriar e transformar não só a minha realidade, mas de todos que estão a minha volta. É sempre fantástico chegar no Polo Cerâmico e saber da história de cada pessoa por trás daquele produto e do produto em si também, e no nosso caso que compramos as peças que seriam descartadas, e ao adquirir esse produto fazemos circular a compra e vende de um produto que não seriam mais comercializados. E através do olhar de design que temos no atelier ele é ressignificado através da técnica da petrificação da cerâmica, desenvolvida por mim ainda lá em 2008 e toda essa metamorfose é transformada joias que tem muito propósito. Todo esse estudo é traduzido em peças atemporais, com muita identidade e unicidade.


6- Deixe um recado para os leitores da Catarina.

Primeiro, gostaria de dizer estou bem feliz de falar um pouco do meu trabalho para vocês. E que cada um de nós temos um proposito, um caminho a seguir e que nunca deveremos desistir dos nossos sonhos, por experiência própria, já tive muitas portas fechadas, ficava bastante triste, muitas vezes me perguntava se estava no caminho certo? E vejo que a persistência, proposito, dedicação e muito trabalho é que faz com que as realizações aconteçam e os desafios sempre existirão, só que agora são outros e fases mais avançadas. Nunca desistam dos seus sonhos!

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*