DRAGÃO FASHION BRASIL – RESUMO DIA #3

O terceiro dia de DFB foi cheio de cores, volumes e muita criatividade!As salas de desfiles estavam lotadas, e os dez nomes que atravessaram a passarela não deixaram a desejar.

 

Um dos pontos altos da noite, foi o Concurso dos Novos, que apresentou grandes talentos das faculdades Ateneu (CE), Santa Marcelina (SP), do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), e do Senac/SE, reforçando a importância dar oportunidade e incentivar futuras gerações criativas.

 

Concurso dos Novos – IFRN

 

Concurso dos Novos – Faculdade Ateneu

 

Concurso dos Novos – SENAC SE

 

Concurso dos Novos – Faculdade Santa Marcelina

Ivanovick

Estreando no DFB, a coleção “Alma Negra” da Ivanovick, misturou a cultura africana e o sertão nordestino, com referências super modernas.

Intensidade foi o ponto chave do desfile, que teve peças altamente detalhadas, cores fortes como laranja, verde cana e tons terrosos, remetendo aos cenários geográficos das duas referências. Rendas, ilhós, mantas de spikes e pathces alegraram as peças super elaboradas. Os acessórios em madeira reciclada ficaram por conta da marca Eleva, parceira da Ivanovick. O estilista fez sua leitura das mulheres guerreiras que vivem nesses locais, e celebrou sua força e dualidade em um desfile rico em detalhes.

 

Rebeca Sampaio

A londrina Rosie, uma londrina empoderada que está de férias no Brasil, foi a inspiração para a coleção Rosie de Rebeca Sampaio. Shapes fluidos, babados e franzidos mesclados com cores candy colors e tons terrosos, foram as escolhas da estilista. A referência aos anos 80′ e a leveza do litoral brasileiro regeram a modelagem das peças, que eram expressivas e leves.

O couro representou muito bem a referência da década de oitenta, o chiffon e o crepe trouxeram fluidez e movimento para os looks. Os acessórios foram uma parte importante da coleção, cintos de Matulao em madeira, chapéus a lá Zé Carioca e recortes estratégicos detalhados com ilhós dourados finalizaram com charme e brasilidade o desfile.

 

 

Jeferson Ribeiro

Para romper os padrões da feminilidade, o estilista Jeferson Ribeiro se inspirou na liberdade estética e nas gambiarras da festa de largo, que eram muito populares durante os anos 80 na Bahia.
A estamparia foi o palco para expressar a baianidade pretendida pelo estilista, com uma cartela de cores surpreendente e viva com tons de roxo, rosa e amarelo. O motivo para o design das estampas e acessórios foi a vulva feminina, com o intuito de desmistificar a relação da mulher com o próprio corpo. Os looks transitavam entre shapes minimalistas e maximalistas, tecidos como viscose, lionel, denim e sarja, foram usados para dar forma às peças.

 

 

Ivanildo Nunes

A coleção de festa do estilista Ivanildo Nunes, arrancou suspiros no encerramento do DFB. O bordado cearense foi a grande inspiração para elaborar vestidos lindos e modernos. Cores quentes e introspectivas coloriram as peças, o conceito contemporâneo ficou por conta dos tons de vermelho, verde e violeta.
Os looks eram ricos e leves, tecidos clássicos como tule, organza e renda francesa deixaram a coleção ainda mais bonita. O handmade através de mão talentosas do ceará, deram vida a peças com detalhes em pedraria, bordados e texturas.


Lineup dia #3:
Concurso dos Novos (Fac. Ateneu / Fac. Sta. Marcelina / IFRN / SENAC/SE) – Ivanovick – Herculano Marques – Rebeca Sampaio – Kallil Nepomuceno – Jeferson Ribeiro – Ivanildo Nunes

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*