Design holandês em Florianópolis

Inspirada e sediada no Palácio Cruz e Sousa, antiga residência dos governadores do estado de Santa Catarina, mostra de design holandês faz contraponto entre a casa tradicional e as novas funções das residências

A exposição “Design holandês no Palácio do Povo”, que integra a Bienal Brasileira de Design Floripa 2015, vai compartilhar a experiência holandesa no design voltado para o uso diário. Expostas no Palácio Cruz e Sousa, antiga residência dos governadores do estado de Santa Catarina, 40 criações assinadas por designers consagrados e estreantes irão buscar o contraponto entre a casa tradicional, representada pela exposição permanente (que mostra como viviam os governadores) e a nova casa, epicentro de muitas mudanças que acompanham o novo modo de vida e de uso das residências, uma tendência mundial.

A ideia é que a mostra funcione como um espelho que “traduza” a casa para o presente – explica Jorn Konijn, curador da mostra. – A ideia central é o uso da casa no dia a dia, e as transformações desse uso em tempos recentes. As novas tecnologias – mas também a crise econômica – mudaram drasticamente a função da sala de estar – exemplifica. – Hoje em dia, uma casa pode se transformar facilmente em hotel (veja o “airbnb”) ou em escritório (para quem trabalha em casa). Além disso, a planta das residências também vem mudando muito depressa. A tevê, por exemplo, não é mais a peça central da sala de estar; na verdade, não parece haver mais um foco central para esse cômodo. A separação histórica rigorosa entre sala, cozinha e quarto também parece estar desaparecendo – constata.

Segundo Konijn, o “Design holandês no Palácio do Povo” irá tratar justamente dessas questões e dessas mudanças. – Como os designers lidam com essas situações mutantes? Elas alteram o design desses profissionais? E os profissionais, oferecem novas ferramentas de suporte às mudanças? Até que ponto esse novo contexto mudou o trabalho deles? – questiona o curador, e acrescenta que, no atual contexto europeu, esse tema é extremamente relevante – Há numerosos exemplos históricos de arquitetos, como Gerrit Rietveld ou Alison e Peter Smithson, que realizaram experimentos bastante aprofundados relativos à sala de estar em transformação. Experimentos assim vão acontecer também na mostra de design holandês da Bienal Brasileira de Design Floripa 2015 – antecipa.

Jorn Konijn explica por que a mostra é inspirada e sediada na antiga residência dos governadores. – O atual Museu Cruz e Sousa era o Palácio do Governo. Abriga objetos históricos, como a primeira lâmpada elétrica e o primeiro toca-discos fabricados no Brasil. O título da mostra, “Palácio do Povo”, contrapõe-se a “Palácio de Governo”, assim como a mostra pretende oferecer uma resposta moderna ao interior tradicional. As salas de exibição serão, em parte, montadas como interiores já existentes, dentro dos quais o visitante se sentirá como numa casa de verdade. Os objetos de design holandês vão funcionar como peças da casa, mas também serão uma espécie de roteiro da exposição. Os espaços não estarão completamente decorados; haverá espaços que poderão ser preenchidos com novos objetos – explica.

A mostra “Design holandês no Palácio do Povo” incluirá também instalações na entrada e no entorno, além de workshops de criação que vão reunir designers brasileiros e holandeses. O público também vai participar de oficinas e poderá criar peças a serem acrescentadas à mostra.

Serviço
Parte integrante da Bienal Brasileira de Design Floripa 2015
Mostra de design holandês, sediada e inspirada no Palácio Cruz e Sousa
Rua Arcipreste Paiva – Centro, Florianópolis – Tel.(48) 3028-8091
Inauguração: 16 de maio
Visitação: 17 de maio a 12 de julho de2015
De terça a sexta das 10h as 18h
Sábado, domingo e feriados das 10 as 16h.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*