Conheça a próxima geração da moda: 60 anos +

No que está sendo chamado de ‘Greynnaisance’, as marcas de moda estão recrutando modelos mais velhos e influenciadores para atrair Baby Boomers e fãs mais jovens nas redes sociais. No auge de seus 60 anos eles mereceram um maior atenção das marcas, afinal eles tem maior longevidade e influência financeira sem precedentes combinada com uma recusa de envelhecer como os pais tinham, o que fez deles “uma força a ser reconhecida.”

Entre o que é ainda um grupo emergente, eles estão estabelecendo precedentes: são ativos, engajados e envolvidos em pilares da família, comunidade e sociedade. Eles estão aproveitando a vida ao máximo. A idade não mais determina o maneira como vivemos. Capacidade física, circunstâncias financeiras e mentalidade indiscutivelmente têm muito maior influência. E não há padrão fixo de como qualquer um de nós envelhece. No futuro, a vida sem idade se tornará a norma para todos nós, como avanços contínuos na longevidade tornar estendido saudável vive uma realidade.

Observadores de tendências traçam o início do “Greynnaisance” em 2015, quando a então autora de 80 anos, Joan Didion, tornou-se o rosto da Céline e Saint Laurent escolheu Joni Mitchell para sua própria campanha. Mais recentemente, Isabella Rossellini, Jan de Villeneuve e Daphne Selfe posaram para Sies Marjan , Simone Rocha e Tank Magazine, respectivamente.

Por que você acha que aceitaríamos que nossa vida termina quando nos tornamos uma certa idade?

Os baby boomers têm sido largamente ausentes da publicidade, especialmente na alta moda, apesar de terem impulsionado 42% dos gastos nos EUA, contra 13% para os consumidores da geração do milênio e da Gen-Z, de acordo com um relatório de 2017 da Moody’s. Normalmente, as empresas direcionam suas campanhas para um grupo demográfico mais jovem, presumindo que os anúncios também atraiam os pais.

Agora, algumas empresas estão revertendo essa fórmula. “Quando você mostra uma mulher mais velha em uma campanha, ela não apenas tem o poder de inspirar uma pessoa mais jovem, mas também o poder de inspirar sua geração”, diz Ari Seth Cohen , fundador da Advanced Style, 36 anos. Modelos mais antigos também servem como contadores de histórias, em vez de apenas rostos que vendem uma peça de roupa. Pesquisas apontam para um enorme potencial de inovação por parte da marcas que acolhem e envolverem personas desde grupo. De moda a finanças, de saúde ao lazer, marcas em uma infinidade de categorias tem muito a ganhar

Mas apesar da crescente modelos mais velhos permanecem relativamente raros. As marcas devem ficar atentas as oportunidades crescentes de negócios para esse público, e criar serviços e soluções para este mercado. Essa nova geração de 60 + quer interromper o envelhecimento, tornando a vida muito mais vibrante.

O negócio da moda está lentamente acordando para a potência dos mais velhos, e os desafios ainda são muito grandes, como modelagens por exemplo, afinal com o tempo nosso corpo e habilidades mudam, mas o que tem que estar claro é que o estilo não deve ser definido pela idade e que nos dias de hoje eles são grandes influenciadores de consumo.

 

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*