Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/catarina/web/revistacatarina.com.br/public_html/wp-includes/post-template.php on line 284

AIR-INK: A primeira tinta do mundo feita de poluição do ar

Buscar soluções sustentáveis através do design é a missão da startup indiana Graviky Labs, que desenvolveu a AIR-INK, a primeira tinta que tem como matéria prima gases poluentes. A ideia surgiu para resolver um grande problema na cidade onde fica a startup, Déli na Índia, a poluição.

Nas últimas décadas nós dependemos da queima –indireta ou não‒ para suprir as nossas necessidades energéticas. Pesquisas desenvolvidas mostram que a fuligem é o principal subproduto da queima de combustíveis fósseis, e que está relacionada com o aceleramento da degradação ambiental. Além de causar danos ao meio ambiente, a exposição de partículas é a causa de diversos problemas respiratórios como asma –cerca de 300.00 mil ataques anuais nos EUA– levando a 2 milhões de dias de trabalho perdidos por conta de problemas respiratórios.

A visão daAIR-INK é prender a poluição do ar do PM urbano de uma forma que não atinja nossos pulmões. O processo de criação doAIR-INK desintoxica cuidadosamente metais pesados ​​e partículas cancerígenas da fuligem ou carbono. Os poluentes que poderiam estar nos pulmões de milhões de pessoas agora estão lindamente descansando como arte.

AIR-INK é uma linha de marcadores resistentes à água, de alta qualidade, recarregáveis ​​e com tinta de serigrafia. Usando 30ml da caneta, você pode compensar 45 minutos de poluição. Feita de material particulado de poluição do ar – ou seja, a fuligem de carbono não queimada que você vê saindo do tubo de escape de carros, chaminés, geradores e muito mais.

Os primeiros testes para a prototipagem do produto foram realizados no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), onde a equipe responsável desenvolveu uma forma de sintetizar partículas poluentes e transformá-las em tinta. Para captar os gases poluentes o dispositivo Kaalink é instalado na saída dos escapamentos dos carros, e assim armazena a fuligem emitida pelos veículos. Quando o compartimento estiver quase cheio o motorista recebe um aviso, para levar o dispositivo para ser submetido a um processo de purificação e tratamento, onde a fuligem coletada passa por vários processos proprietários para remover metais pesados ​​e carcinogênicos. O produto final é um pigmento rico em carbono purificado. O Kaalink é capaz de reter até 95% das partículas, incluindo micro partículas nocivas à saúde, e o projeto já conseguiu fazer com que mais de 1.6 trilhão de litros de ar poluído fossem filtrados.

“Poluição não é nada além dos recursos que não estamos colhendo. Nós permitir-lhes para dispersar, porque temos sido ignorante do seu valor “.

– Buckminster Fuller

 

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*