A verdade de cada um: uma lição com Ronaldo Fraga. (SPFWn41)

(texto publicado originalmente no blog da nossa editora-chefe Patrícia Lima)

IMG_0181

A cada temporada nacional, muitos são os desfiles, mas poucos repercutem pelas ruas do nosso Brasil. Menos ainda são as marcas que são aguardadas com expectativa por toda a indústria da moda. Não somos lançadores de tendências, ou melhor, somos. Porém, nossos verdadeiros movimentos de consumo costumam ser populares, vividos regionalmente, impulsionado por movimentos locais, com baixo ticket médio…
Há alguns dias, em um evento no Rio de Janeiro, ouvi uma moça criticando a imagem vendida nacionalmente da moda carioca. Dizia que o Rio de Janeiro possui, pelo menos, seis estilos e personalidades de consumo, quase todos ligados aos locais onde acontecem e muitos ligados às comunidades… Por isso achava desmotivador assistir ao fortalecimento de apenas um lifestyle, o da garota da zona sul. Mais comercial, “embalado para vender” narrava ela, de maneira revoltada. O discurso da jovem ganhou apoio de todas as outras cariocas presentes na discussão, deixando claro o incômodo com a falta de verdade com a cultura local, segundo a visão delas. Desde então venho refletindo sobre a verdade presente na moda nacional. A falta de verdade em boa parte do mercado, não é responsabilidade da moda em si, é responsabilidade de cada pessoa. Também ouso dizer que não é a sua verdade com o mundo, mas sim, com o seu interior.
É nesse ponto que chegamos ao nome de Ronaldo Fraga. Muito mais do que um poeta pelo viés da moda, o estilista tem algo que vai além da capacidade profissional e talento para criação, Ronaldo possui a verdade dentro si. Uma verdade que consegue traduzir em coleções, criações feitas para agradar aos olhos, mas para incomodar a zona de conforto de todos nós.
Ao longo dos anos, vejo Ronaldo sendo fiel a si mesmo. Leal com os seus valores e desejos em criar mensagens que vão além da roupa. Quando falo verdade, não penso em uma verdade única, mas a verdade de cada um de nós. O sucesso que Ronaldo conquista, o reconhecimento de um país inteiro ao se identificar com suas poesias em forma de vestuário, nada mais é do que a verdade construída em forma de desfile. Ao analisar uma coleção do estilista, sugiro que não se prenda apenas à execução da peça de roupa, é preciso olhar com o coração e aprender com o exemplo de quem é uma inspiração para quem busca uma vida plena e completa. Precisamos conciliar, cada vez mais, nossas crenças pessoais com a atuação profissional. É preciso trabalhar com o que se ama e, principalmente, da forma que acredita.  Se você está achando esse texto romântico, repense. Estamos vivendo dias de consciência, essa busca pela verdade está em tudo à nossa volta, desde a alimentação até o cenário político. Por isso, não seria diferente com a moda, pelo contrário, a moda e o seu dever em ser ferramenta para forma de expressão, será a porta de entrada para um novo comportamento e hábito de consumo. Nessa nova Era, queremos mais “Ronaldos” trazendo suas verdades para os holofotes da sociedade.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*