A Marca Rust Miner volta as passarelas no Minas Trend

O mundo da moda tem sofrido transformações em decorrência de novos hábitos de consumo, destaca-se um novo estilo de consumo, mais consciente, e juntamente com ele a moda ética, com princípios éticos e sustentáveis. Os consumidores se preocupam com conceitos que propagam a sustentabilidade, consciência e respeito, exaltando a importância da produção sustentável, do acompanhamento do ciclo do produto e sua relação com a terra.

Você já ouviu falar do Upcyclign?

O upcycling é uma alternativa sustentável na área da moda, é um processo de reutilização que busca transformar os resíduos desperdiçados em novos produtos com qualidade superior, além de agregar valor ambiental ao mesmo. Caracteriza-se por se utilizar de um material já utilizado, ou resíduos de produtos com menos consumo de energia na reutilização do mesmo, sem ter a necessidade de reciclar o produto. E tem como ponto principal conceito estender o ciclo de vida de algum produto que está sendo descartado. Vários designers já são adeptos desse conceito e uma das marcas que adoramos e está voltando ao mercado na próxima edição do Minas Trend é a Rust Miner

A Rust Miner é uma marca Catarinense de acessórios criados artesanalmente em partes ou todo com peças garimpadas em sucatas de ferro velhos, oficinas, entre outros. Fundada pelo designer de moda Raphael Fagiolo e o pelo profissional de marketing Léo Begin, nasceu de uma necessidade dos próprios designers que buscavam acessórios com uma pegada mais rústica e artesanal, mas era muito difícil encontrar no mercado. Começaram então a criar seus próprios colares e pulseiras. Os acessórios fizeram sucesso entre os amigos, que começaram a encomendar as peças.

A Rust Miner aceita o desafio de transformar materiais diversos em acessórios com acabamento refinado, mas sem perder a essência e a história como marcas, formas e outras características que essas peças tenham adquirido com o tempo. O nome RUST MINER quer dizer garimpeiro de sucatas. A palavra RUST remete também à rusticidade, característica da marca. O termo MINER se deve ao garimpo de materiais em diversos lugares, uma busca constante para criar produtos sempre inovadores e diferenciados. Quase uma ‘caça ao tesouro’. E o resultado, vocês podem ver, é surpreendente.

A marca que nasceu criando produtos Upcyling e com vendas focadas no varejo, fez uma pausa em meados de 2017 e ressurgiu repaginada, atuando atualmente no atacado e criando produtos tanto Upcycling quando Downcycling. Utilizando como parte de sua matéria prima, materiais que estão no fim de sua vida útil, da forma em que foram descartados (up), para dar a eles nova utilidade, ou processando materiais descartados (down) para criar novos produtos.

Os sócios são fascinados por objetos e lugares antigos e abandonados, e esse gosto peculiar por coisas ‘com história’ fica impresso nos acessórios, colares, pulseiras, brincos e também em peças de decoração. As peças são criadas artesanalmente com materiais garimpados entre sucatas de ferro-velho, oficinas e antiquários, além de materiais industriais adquiridos em lojas ferragens e materiais de construção e indústria em geral.

Como os joalheiros trabalham o ouro, a prata brutos e as pedras raras, extraídos nos garimpos, a Rust Miner lapida engrenagens, arruelas, porcas, tecidos, fibras e borrachas sem uso e os transforma em acessórios com características refinadas e únicas.

Estamos doidas para ver as novas peças, e estaremos lá para cobrir o evento. Aguardem as novidades.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*