Modelos da vida (quase) real

5576f916490f4

As famosas selfies na rede social Instagram podem valer muito mais do que algumas curtidas ou comentários, incluindo um aumento na conta bancária, uma legião de fãs e participação em campanhas publicitárias. Na década de 1990, as modelos eram procuradas nas ruas pelos chamados olheiros. Kate Moss foi descoberta no aeroporto e Gisele Bündchen no McDonald’s. Agora, agências e marcas estão buscando new faces na internet, que chegam a ter milhões de “seguidores” virtuais. Quanto mais, melhor.

Nos EUA, a busca está cada vez mais frequente. A Asos descobriu o rosto de sua campanha plus size através de um concurso virtual. Já Marc by Marc Jacobs escalou as estrelas de suas duas últimas campanhas de acordo com fotos marcadas com a hashtag #castmemarc. Em junho de 2014, a marca DKNY usou o poder da modelo Cara Delevingne e seus milhões de seguidores para fazer o casting de uma coleção cápsula. A gigante agência de modelos estadunidense IMG lançou, em dezembro do ano passado, uma espécie de caça talentos virtual com o nome “We Love Your Genes”, que possui um sistema onde basta incluir a hashtag #wlyg para entrar no radar direto dos profissionais da agência. Para participar, não é só a beleza que conta, mas também interesses e personalidade. Em seis meses, a hashtag já foi usada mais de 230 mil vezes.

Agora, é a vez de uma grande agência brasileira, a Way Models, seguir o mesmo caminho. O Way Talents foi criado para representar os social influencers do Brasil, seguindo os passos das gigantes do mercado mundial. Karol Queiroz, de 21 anos, atualmente integra o time recém formado de modelos. Ela possui aproximadamente 120 mil seguidores. Conversamos com a jovem, que mora em Florianópolis, para saber sobre o seu sucesso nas redes sociais e o começo de sua carreira. Confira!

5576f91d6b574 Revista Catarina: Você possui mais de 100 mil seguidores no Instagram. Desde quando começou o seu sucesso nas redes sociais?

Karol Queiroz: Começou em janeiro deste ano quando eu desbloqueei meu Instagram!

RC: Qual o tipo de foto que mais gera curtidas nas suas redes?

KQ: A foto que mais gera curtidas são as “selfies”, fotos só do meu rosto, mesmo as mais simples tiradas do celular sempre acabam superando as outras até mesmo as tiradas por fotógrafos profissionais!

RC: Como é a relação com seus seguidores?

KQ: Eu tenho uma relação direta com eles! Leio todos os comentários e no Twitter sempre converso com todos e tento dar o máximo de atenção, gosto muito de conversar com eles, todos eles me entendem muito bem e temos muito em comum acho isso muito legal. Já virou parte do meu dia a dia falar com eles!

RC: Você já tinha planos de ser modelo antes? Como surgiu a proposta de ser agenciada pela Way Models?

KQ: Eu sempre quis ser modelo, mas nunca fui atrás pelo fato de eu ser baixa, tenho 1,63, mas sempre me falaram para ser modelo fotográfica e nunca fui atrás porque achava que ninguém iria me querer! A proposta da Way surgiu por e-mail, me convidaram para um encontro lá na agência para conversar. Fui lá meio sem saber o que esperar e logo de cara já fui agenciada.

RC: Como tem sido o seu início de carreira como modelo?

KQ: Tem sido muito legal, eu tenho amado os trabalhos que fiz e as pessoas que conheci. Sempre tive uma visão meio deturpada desse meio e fui surpreendida. Lá na way me tratam muito bem mesmo, o Dando dono da agência sempre é muito atencioso comigo quando vou lá e todas as pessoas que trabalham lá também!

RC: Ao invés de realizar parcerias diretamente com as lojas, quais os benefícios de entrar para uma agência de modelos?

KQ: Acho que o principal benefício é profissionalizar o meu trabalho, pois o Instagram virou trabalho, para fazer publicidade e receber dinheiro você precisa emitir notas e assinar contratos, a agência te auxilia em toda essa parte.

RC: Quais são seus planos para o futuro?

KQ: Eu não tenho muitos planos ainda. Pretendo terminar minha faculdade de Relações Internacionais, enquanto isso investir no meu canal no YouTube e quem sabe no futuro trabalhar com publicidade ou jornalismo, porque me envolvendo nesse meio tenho aprendido muito sobre e tenho gostado cada vez mais.

RC: Quais são as vantagens de ter tanta visibilidade on-line? E as desvantagens?

KQ: As vantagens são muitas, não só as financeiras como os trabalhos que faço, os produtos que recebo, mas também a possibilidade de reunir pessoas que gostam de você de todo o mundo, ter sempre pessoas dispostas a te ajudar e você também ter a chance de ajudar essas pessoas de alguma forma. As desvantagens eu considero o fato de que com essa onda de pessoas que gostam de você, no meio tem muita gente ruim e mal intencionada que faz críticas sem fundamentos e às vezes num mal dia isso pode te afetar muito, eu tenho tentado aprender a lidar e cada dia estou melhor mas às vezes é difícil ver gente falando coisas com o único e exclusivo intuito de te fazer mal. Porém, atualmente o número de pessoas que gostam de mim é muito maior e sempre que me pego numa situação assim eles sempre estão lá pra me defender!

Até o fechamento desta matéria, a assessoria de imprensa da Way Models não quis se pronunciar sobre o novo projeto da agência, que está em fase de elaboração e deve ser finalizado na próxima semana.

Por Julia Lindner
@juliatlindner

5576f914353d1 karol02-1024x768

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*