Fashion Rio: casulos, Matisse e high-tech encerram a temporada carioca de moda

No último dia de Fashion Rio, começamos as apresentações com Andrea Marques, em um desfile que exalou elegância. Ao usar o surrealismo como plano de fundo, a estilista criou uma coleção para uma mulher sofisticada, sem cair na armadilha de uma linha conservadora. Formas confortáveis e alongadas, nunca passando do comprimento midi, ganharam frescor com uma cartela de cores viva (que trouxe o mostarda, o rosa, o bordô e o lilás) e estampas lúdicas de máscaras.

 

Andrea Marques

Andrea Marques

Andrea Marques

Andrea Marques

Andrea Marques

Andrea Marques

Na sequência, as meninas da Filhas de Gaia aproveitaram o momento para expressar a evolução da marca na forma da própria coleção. Com isso, surgiu o conceito Mutação, em que a linha inteira foi desenvolvida pensando na borboleta saindo do casulo (representado principalmente nas mangas). Para as designers Marcela Calmon e Renata Salles, a transformação ocorreu com a experimentação de materiais ainda não explorados nas coleções passadas, como couro, tricô, pedrarias e fios nobres. Estampas delicadas e uma cartela de cores que contou com azul, cinza, vinho, preto e branco garantiram a leveza.

 

Filhas de Gaia

Filhas de Gaia

Filhas de Gaia

Filhas de Gaia

Filhas de Gaia

Filhas de Gaia

Já a Espaço Fashion nos levou diretamente para casa, com uma linha temática e jovem repleta de referências como tomadas, interruptores, dobradiças, chaves e fios de almofadas na estamparia. O conforto, algo que sempre prezamos quando estamos em casa, estava presente nas túnicas e calças largas e soltinhas (olha o sportswear de novo no inverno brasileiro!). Camisas masculinas, saias trompetes e coletes vazados deixaram a linha ainda mais moderna.

 

Espaço Fashion

Espaço Fashion

Espaço Fashion

Espaço Fashion

Espaço Fashion

Espaço Fashion

O improviso foi a palavra-chave que guiou a R. Groove, em uma coleção inspirada pelo jazz e pelo surf (duas vertentes que celebram a liberdade). Com uma alfaiataria descompromissada e solta, a marca brincou com tons primários misturados ao bege e verde da praia, com toques de preto e branco. Quem apareceu para colorir na estamparia foi Henri Matisse, usado como inspiração para os desenhos em mão livre.

 

R. Groove

R. Groove

R. Groove

R. Groove

R. Groove

R. Groove

E para fechar a temporada de desfiles no Rio de Janeiro, nada melhor que um show particular da sueca Beatrice Eli durante o desfile da Ausländer . A coleção minimalista teve como tema a ficção científica e propôs combinações interessantes, como as capas usadas sobre hot pants para as mulheres e os blazers estruturados usados com bermudas para os homens. O futurismo ganhou foco ainda maior na maquiagem, nas roupas monocromáticas e nos acessórios – como os óculos oversized.

Ausländer

Ausländer

Ausländer

Ausländer

ausl_lb_I14_002

Ausländer

Ausländer

 

Texto: Camila Beaumord

Imagens: Fotosite